Boogiepop Phantom – Corrente de Reviews 2013

bannerPorra pegou pesado comigo, Beta…

3472lBoogiepop Phanton é um anime lançado na temporada de inverno do ano Dois mil pelo estúdio Madhouse (voz angelical falando o nome do estúdio), baseado na novel de Kouhei Kadono e Kouji Ogata, que posteriormente ganharia algumas adaptações para mangá, uma delas curiosamente com outro desenhista.

Boogiepop conta a os resultados de um acontecimento misterioso que mudou algumas crianças/adolescentes da cidade, dando a cada um deles uma espécie de “poder” diferente (mas todos com o fundamento de fuder o portador  e todos a sua volta). Essas crianças são caçadas por um tipo de shinigami quando estão afetando a sociedade de forma negativa, esse shinigami é “a” ou “o” tão falado Boogiepop. Sua história tenta misturar sutilmente alguns conceitos científicos com lendas muito difíceis de acreditar, causando uma confusão enorme na cabeça de qualquer um… Ou não…

Boogiepop-Phantom-wallpaperO que eu mais gostei nesse anime foi sua ousadia, pois ser lançado algo com uma cronologia tão maluca é uma ideia que nem todos levariam para frente, outra ideia que é ótima mas de jeito nem um inédita, é a de praticamente a cada episódio mudar o protagonista; e o mais interessante é que com o passar do tempo você percebe que TODOS os acontecimentos e personagens estão de alguma forma conectados. Outra coisa que achei extremamente interessante foi a trilha sonora, apesar das músicas não me agradarem muito (a não ser aquele encerramento) eu compreendo que ela é necessária para nós entrarmos no clima tenso do anime.

Boogiepop_Doesn_t_Laugh_v02_002Apesar da ousadia e da ótima ideia em colocar uma narrativa diferente, esses recursos não foram bem utilizados. Alguns momentos o anime deixa de lado certas coisas para focar em um personagem que não vai modificar em quase nada o caminho que a história está tomando. O “character design” foi mais uma das coisas que me irritou, todos os personagens se parecem muito uns com os outros; e distingui-los com certa facilidade seria algo crucial para uma obra que se apresenta em forma de quebra-cabeça, por acabar dificultando muito o modo como identificamos os atos de cada um deles.

O ritmo também é péssimo, se é que existe algum ritmo, foram raros os momentos que ele de fato prendeu a minha atenção, e quando prendia era porque eu já estava em uma paranoia absurda para tentar descobrir de onde vem a luz que distribuiu o poder; o ritmo é maçante a ponto de ter me feito dormir em dois episódios(que assisti novamente logo que acordei)…

Concluindo; Boogiepop não é um anime que vai entrar para a minha lista de favoritos, pelo menos por enquanto, recomendaria ele para pouquíssimas pessoas justamente por sua alta complexidade. Algo curioso também é que na segunda vez que você o assiste ele fica muito mais agradável, o que em minha opinião é uma falha, pois se é bom, vai ser bom na primeira vez que você assistir, e quando assistisse mais uma vez ele lhe acrescentaria mais do que a principio esteve implícito; é por isso que discordo que seja uma obra nota dez… Mas ele tem seu mérito… No fim das contas, fiquei com a impressão de que uma ideia muito boa foi estragada por uma má execução.

corrente_reviews2013datas

A corrente de reviews é uma iniciativa do blog Anikenkai que esse ano envolve mais de quarenta blogs, cada um pegando uma indicação, fazendo um post e indicando outro para algum blog sorteado. Para ficar ciente de todos os posts dessa corrente clique aqui.

Assim como a @beta_blood do “Elfen Lied Brasil” me indicou Boogiepop; eu tenho que fazer o mesmo. Minha indicação é “Sakamichi no Apollon” para o “A fake Blog” da @Suzidono, não para desafiá-la como a Roberta fez comigo, mas só porque eu gostei do anime e quero saber a opinião de outra pessoa sobre ele.

SNA

Até…                   @_ayronn

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , . Guardar link permanente.

6 respostas para Boogiepop Phantom – Corrente de Reviews 2013

  1. Tabibito-san disse:

    Eae Nerd-Ogro!

    “(voz angelical falando o nome do estúdio)”,desconheço,de onde precisamente seria?A voz distorcida que me remeteu nesse caso foi a do título “Boogiepop Phantom” sendo falada no meio do anime,tipo o “estamos apresentando” e “voltamos a apresentar”,deve ter notado nos episódios.E além disso em questão de som: lembro daquela filmagem da abertura,uma ar de perambulando pela madrugada e a “voz de gueto” do cantor;do encerramento resumindo o episódio e bem “rock animado”,exótico e simpatizante,ainda o acho;e um som durante os episódios que assinalava a importância daquilo.

    O que me atraiu primeiramente a Boogiepop Phantom foi o jeito embaralhado de contar um conto particular que tem sua parte compondo o todo,comprei logo o desafio se assim o anime me apresentasse na sinopse que o li e sem precisar me aprofundar noutros pontos,ou se li com mais atenção não lembro,não queria “pistas” ou algo do tipo. =p

    O character designer que muito te irritou,não é dos mais simples realmente,porém pelo que me lembro me fixei no andamento episódico ao redor de certo personagem e diferenciar os japoneses -japoneses são todos iguais(?)- me assemelhava a um outro desafio menor.Sei lá;estava na chuva para me molhar.No problem. =P

    O ritmo que interpretou como inexistente/oculto,o vi como irregular porque já imaginava isso quando li a sinopse de histórias montadas.E em concordância e verossimilhança,a “paranóia” é ritmante(neologismo?).

    Concluindo,me é válido Boogiepop Phantom pelas originalidades e pelo que ele pode marcar -E o que não é isso num tempo de conteúdo rápido e disponível,onde as pessoas querem se impressionar/marcar-se?- Por ventura,não estejam preparadas ou receptivas,ainda que posem que sim.E também como você,acho que não apontaria ele para muitas pessoas… pode ser um desafio que cada um decide ou não aceitar.Mais ou menos como no seu caso aqui.

    P.S.:
    01 “{..}na segunda vez{..}fica muito mais agradável{..}”,denota que a Roberta “venceu sua resistência” se a proposta lhe serviu para obras futuras.E não desafiou o “A fake Blog” nem um pouco..?
    02 Se seu aparente lado “Ogro” vier a ‘se ofender’ indireta ou diretamente com algo ou a forma que escrevi,não ‘se ofenda’.Não me habituei a fazer isso querendo ou “sem querer querendo”.
    03 Foi um bom post porque não se perdeu na brincadeira da Corrente.

    Nota >> Como as OSTs são extensas: https://www.youtube.com/watch?v=sgEtAVgf2Rk&list=PL1BF4A0D556CAFDB3

    Good bye!

    • Ayronn Santos disse:

      Opa!
      Não acho que Rock defina bem a trilha sonora, tudo depende do seu conceito do que é rock(mas esse não é o ponto aqui)… Acho que você levou um pouco a sério demais esse texto, apesar de mostrar minha opinião sobre as obras, eu tento brincar um pouco no meio do texto pelo simples fato de eu me divertir fazendo isso(acredito que isso seja tão comum por aqui que a maioria já se acostumou), a voz angelical é só uma piadinha, cara…
      Assim como coloquei no texto, concordo que essa narrativa pode atrair a atenção de muita gente que ler a sinopse(eu nunca leio as sinopses, hehe)… o character designer realmente achei fraco, não precisava ser um carnaval de cores, mas bem que os personagens poderiam ter algumas características mais distintas…
      Por fim; não fiquei nem um pouco irritado com o seu comentário, apesar de achar que você tentou me irritar(cabeça fria, manolo); e não acho que a Roberta tenha vencido nada, até porque não é uma disputa, quando ela recomendou provavelmente achou que no fundo eu iria gostar, da mesma forma que eu fiz com a Suzi…
      Valeu por comentar… E até a próxima… 😉

  2. notakuinsides disse:

    Eu adorei este anime desde a primeira vez que assisti.

    Eu descordo um pouco com sua opinião sobre os design dos personagens, quero dizer, sim, são todos parecidos, mas desta forma o temos mais sóbrios, sem aquela putaria de cabelo cor de arco-íris em formato de montanha russa.

    E concordo que o anime não seja pra todos. À todos que indiquei, ninguém gostou…
    Começo achar que sou um alien…

    • Ayronn Santos disse:

      Bom dia/tarde/noite…
      Realmente, os personagem serem mais parecidos dá mesmo um ar mais sóbrio; e os “cabelos coloridos de montanha russa”(vou levar essa expressão pra minha vida) irritam qualquer um; mas poderiam achar um meio termo entre as duas coisas, como no anime que recomendei…
      Valeu por comentar…
      Até…

  3. Saudações

    Não posso muito comentar sobre o anime, uma vez que eu nunca o assisti, enfaticamente. Mas posso assegurar que, embora pareça sombrio, o seu texto me deu uma ideia interessante sobre a obra.

    Percebi que o design dos personagens não foi de seu agrado na totalidade, mas se observar verás que há mais animes assim do que possa imaginar, em tese. No mais, foi apenas uma observação simplória a minha, nada de importante.

    Muito bom o seu texto, rapaz.

    Até mais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s